quinta-feira, 14 de novembro de 2013

linha tênue



Adeptos do amor, romance ou seja lá a palavra que chamam seus sentimentos forte e sincero por alguém, não se iludam com "all you need is love" porque infelizmente não acharam o método milagroso de viver só de amor.

Não menosprezando o amor, pois é tudo, realmente tudo quando se tem também realização profissional e equilíbrio emocional. Sem isso o amor se anula e diminui, diante da falta de motivação e segurança que a vida nos exige e que só uma profissão consegue nos proporcionar.

Não gosto de mostrar fragilidade a ninguém, nem a mim mesma. Mas nos teus braços eu desabo de alívio, como alguém que esperou a vida inteira pelo encaixe perfeito que a gente forma. Isso me distrai nas noites de insônia, me preenche interiormente e coloca um sorriso no meu rosto. Mas não paga minhas contas, minhas necessidades e planos pro futuro.

Você vai precisar do amor e muito pra não se tornar um iceberg, que além de gelado depois de um tempo se torna amargo, trazendo o gosto até a boca todos os dias, te fazendo lembrar de quantos amores você evitou e agora se pegou sozinho, pensando na imensidão do mundo e no fato de estar só, por opção. Mas não pense só no amor, não viva só de rosas que você enxerga em alguns pontos do seu caminho, porque a vida não é isso, ela nos exige leveza, mas também ordena a ser forte.


Naiana Cescon Lemes

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Deixa ser



Tem horas que minha mente me prega peças. Minhas certezas não demonstram mais segurança, meu futuro se torna incerto. É aí que tudo muda, acontece ou para. Ou sigo em frente ou abandono de vez.

A confusão me faz calar. Quando não compreendo algo dentro mim, preciso me isolar para digerir o mundo que me habita. Canso tão fácil das coisas que me atiro na cama, penso um milhão de possibilidades de ajeitar minha vida mas acabo dormindo e deixando tudo pra depois.

Meu problema ou solução é que não sei me conformar com as chatices do mundo. Não sei esperar sentada enquanto os sentimentos transbordam dentro de mim, exigindo explicação ou movimento. Enquanto mantenho tudo dentro de mim, tenho controle. Minhas palavras saem duras, de tanto que seguro e não falo, que até eu me surpreendo com a minha capacidade de piorar as coisas.

Nos últimos meses andei colocando ponto final em algumas histórias e reticências em outras. Tenho visto um mundo mais claro e mudei alguns coisas de lugar, mas o medo de tudo que é inteiro nunca me abandona. E quando a dor me torna mais covarde, eu sinto a coragem pra ser o que sou e aceitar o que sinto.

Deixa ser. Ah se eu deixasse.


Naiana Cescon Lemes