segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Com carinho.



Os dias que te vejo reclamar pelo twitter me dão vontade de ter um carro e ir até aí só pra conversar contigo e tentar clarear tuas idéias.

É Hermano, a vida não é tão simples assim como teus olhos enxergam. Não peço que perca o brilho, muito menos que desanime como um fraco. Só acho que precisa de calma e de auxílio. Que precisa de concentração nos teus estudos já que queres terminar logo. Tenho certeza que já planejou toda tua vida depois disso, mas vai com calma. Existem pessoas perto de ti que precisam tanto desse teu jeito machão e meio grosso, ao mesmo tempo exigindo carinho de menino mimado como sempre foi. Precisam de ti pra manter viva uma memória, que nunca morre na tua cabeça, pra manter o clima da casa como a presença de um homem, mesmo que seja só pra reclamar da tampa da privada levantada, do pó de café derramado encima do balcão, do barulho de madrugada, ou pra baixar o som com música alta.

Escuta essa tua irmã mais velha aqui e segue em frente, que se depender de mim e estiver ao meu alcance eu vou te ajudar sempre que puder. Mesmo que tenha dias que seja apenas Online no Messenger. Mesmo que seja por energias positivas mentalmente, mesmo que seja apenas por pensamento.

Não sei o que tu espera de mim, mas acho que algumas palavras por aqui você já esperava, pois saiba que o que eu espero de ti é felicidade, isso sem atropelar fases, sem avançar as coisas até que elas explodem todas nas tuas costas. Tem coisas que são tão nossas que não valem a pena contar tentando que o outro vai compreender teus motivos. Ninguém entende motivos, cada um tem os seus e tem gente que tem tantos na vida que não tem mais espaço pros motivos dos outros. É, algumas pessoas são assim, e se pode fazer o que pra mudar isso? Nada, meu caro.

Nada a não ser viver tua vida o mais discreto possível, mantendo tuas vontades. Ninguém precisa notar o que já brilha, o que já nasceu com isso.

Obs: texto escrito pra quem realmente está precisando de palavras.

Com carinho, Naiana Cescon Lemes.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Indica um filme?



Tópico de preguiçosa, mas então, estou com preguiça mesmo de entrar em sites e procurar filmes bons, que as vezes não são tão bons assim. Nada melhor que pessoas que já assistiram pra indicarem filmes pra mim, eu sou eclética, só não gosto de filmes com guerra - aqueles antigos sabe, de medieval? então, odeio.

Eu sei que não são muitas pessoas que entram aqui ler minhas coisas e os que entram ainda são se manifestam. Mas enfim, nem que seja no anonimato, colaborem comigo! (:

Se puderem dar umas palavrinhas do assunto do filme que me indicarem, eu não fico braba.
(só não me contem tudo né?)

Beeeijos, espero filmes bons.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Eu sei que é amor.



Essa minha cabeça que já não é mais a mesma, tira meu sossego por algumas horas dos dias e logo depois me faz viver a vida de um jeito significante, amando quem eu tenho que amar, quem eu escolhi pra ficar do meu lado. Amando até o fundo do meu ser, imaginando que um dia já não vou tê-lo mais do meu lado.

Me escorrem lágrimas e são tantas, me expreme corpo e mente de pensar em ficar sem você, meu amor. Sem teu cabelinho bagunçado, tuas mãos calmas, teu abraço que me engole por inteiro e completa minha felicidade.Tento não parar na metade do caminho e seguir em frente, fazendo o que tem que ser feito até que eu cumpra minha missão. Te amando até o último dia da minha vida, porque foi a letra do teu nome que apareceu na bananeira e você sabe disso.

Eu sei que é com você que eu posso contar quando tenho medo e chóro, que é pra você que eu tenho que correr quando preciso de amor e de ajuda. Que é só você que tem a cura pras coisas que sinto e ainda não sei explicar se pertencem a mim ou a você.

Amo tanto que até te deixaria ir se esse fosse teu desejo, mas saiba que eu ficaria aqui, desejando que tudo isso acabasse logo e esperando pelo dia em que eu pudesse ter você nos meus braços novamente.

Naiana Cescon Lemes

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Meus Cabelos.

Se tem uma coisa que eu posso falar é Cabelo.

Já passei do curto,  repicado, comprido, colorido...

Desde pequena, queria ter nascido ruiva ou morena. Como não acontenceu, resolvi começar a pintar e acabou virando um vício. Desde a primeira pintada, a cabeleireira disse que meu cabelo pegava tinta com muita facilidade, sorte a minha.

Meu cabelo natural é um loiro escuro ondulado, liso em cima e cachos nas pontas.


Com 16 anos comecei a pintar o cabelo, emcima deixei natural e embaixo fiz mexas roxas


Claro que pra ele ficar dessa cor beeem viva, como mostra ai na foto eu tive que descolorir o cabelo naquela parte. Fiquei um ano pintando assim, se dá pra notar tem umas partes que o roxo é mais curto que o natural. Porque o descolorante faz disso, claro que tive que partir pra tesoura depois disso.

Resolvi cortar os cachos.


Primeiro eu só cortei, depois resolvi pintar de preto, gente do céu, a tonga aqui não sabia que existia tonalizante e acabei pintando ele de preto mesmo. Achei horrível, ficou aquela coisa mega artificial. Então aprendi que eu podia passar apenas tonalizante Castanho Escuro. Aí sim, o resultado ficou como eu queria.


Como cabelo curto é prático, comecei a fazer escova e chapinha todos os dias. Como eu canso muito rápido das coisas, meus cabelos é que pagam por isso, comecei fazer baby liss.


Nesse meio tempo eu acabei sofrendo um acidente em 2009 e acabei desencanando um pouco, com os cabelos e com o resto da vida. Parei de fazer baby liss, deixei ele crescer um pouco, quando dava vontade eu arrumava, fazia chapinha, ou senão deixava secar naturalmente.


Depois que cansei de cabelo preto, já tinha realizado meu desejo de ser morena, começou a saga de a procura do ruivo perfeito, e como demorei pra conseguir. Não entendia nada de numerações e acabava sempre pegando tintas vermelhas, invés do acobreado que eu tanto sonhava. Aí vão as tentativas de ser ruiva "natural" que acabou ficando vermelho.


Depois que eu vi que só dava vermelho, tentei uns tons mais claros, mas nunca chegava a cor que eu queria, ou dava mais claro ou mais escuro.


Mas tava quase, comecei a pesquisar mais sobre as tintas acobreadas, que não tinham nada a ver com o vermelho que eu tava usando, e achei essa tabela na Internet, junto com um post que explicava sobre as combinações dos números.


Consegui encontrar, a 7.34 (que expliquei nessa postagem  AQUI  - só clicar)

E ficou assim:



Eu confesso que depois que consegui o 7.34 que tanto queria, parei de desejar tanta mudança e já não consigo ser feliz com outra tinta, pelo menos agora não.